Blog Action Day

Inicialmente era para ser apenas uma discussão. Com o passar dos anos tornou-se um movimento.

Dia 15 de outubro de 2009 foi marcado pelo Blog Action Day, um movimento entre blog’s em função da mudança climática.

Continue Reading 16, outubro 2009 at 2:52 am 2 comentários

Semana Global do Empreendedorismo

Uma semana para quem realmente foge do convencional, quebra paradigmas e descobre uma nova forma de agir no mundo dos negócios, para a cada dia reinventar o mundo em que se vive.

Continue Reading 12, outubro 2009 at 7:18 pm 1 comentário

The Hub – São Paulo

Lugar de empreendedor, essa é a melhor explicação que define o The Hub São Paulo. Conceito de escritório coletivo, com características empreendedoras, iniciativa de incubadora e totalmente criativo; tal idéia espalhada pelo mundo chegou a São Paulo em…

Continue Reading 10, outubro 2009 at 7:00 pm Deixe um comentário

Pesquisa: o que falta na sua internet

É cada vez mais comum encontrar pessoas em sua volta que não se desconectam da internet. Constantemente surge uma nova funcionalidade na web para simplificar seu dia a dia no escritório, no lazer, nos estudos, etc…

Sendo assim, peço a colaboração para efetuar a seguinte pesquisa sobre internet para um projeto de faculdade da minha parceira de trabalho Mirian Pontes. Além do mais, a informação coletada será interessante para todos.

Respondem aí!

Abraços.

————————————————————————————
NOME:

IDADE:

E-MAIL PESSOAL:

TRABALHA EM QUAL RAMO DE ATIVIDADE?

VOCÊ SENTE FALTA DE ALGO NA INTERNET?

QUAL SUA MAIOR DIFICULDADE NA INTERNET?

O QUE FACILITARIA SE EXISTISSE NA INTERNET?

O QUE VOCÊ MAIS PROCURA NA INTERNET?

VOCÊ PROCURA INFORMAÇÕES SOBRE ENTRETENIMENTO/ CULTURA NA INTERNET? MUITO? POUCO? NÃO PROCURA?

————————————————————————————

24, agosto 2008 at 6:33 pm 5 comentários

SOA GUIDE BOOK

Para quem se interessa, esse link tem muita coisa boa.

Um guia prático pode ser baixado, em versão PDF. Não sou influente neste assunto (ainda!!).

Neste guia encontra-se propostas rápidas para começar a pensar em SOA no desenvolvimento de soluções. Vale a leitura.

http://www.soaguidebook.com/

Boa leitura.

31, julho 2008 at 2:16 am Deixe um comentário

Pair Programming – Are you interested?

Bom, vou aproveitar o tempo livre para indicar uns links sobre esse assunto tão interessante.

A tempos venho me interessando e montar um lab mais eficaz, e contudo, mais acessível aos profissionais recém inseridos no mercado de trabalho.

Este projeto deixa para outro post, mas segue abaixo links para quem programa em Java e se interessa por funcionalidades voltadas para VOCÊ, ser humano!

Eclipse Cola : Real-Time Shared Editing – http://live.eclipse.org/node/543

Cola: Real-Time Shared Editing from Mustafa K. Isik on Vimeo.

Netbeans Collab : Developer Collaboration – http://collab.netbeans.org/

Ainda não estudei sobre mas em breve resenharei sobre o assunto (e sobre os links).

1, julho 2008 at 9:29 pm Deixe um comentário

Cobol!? Vai muito bem, obrigado!

Aaaahh! Eu não via a hora de terminar o treinamento para postar esse assunto.

E o Cobol!? Vai morrer? Vai nada!!!

Posso te garantir que não vai morrer. Vamos deixar aquela antiga idéia tacanha de que a cada nova linguagem que surge e evolui torna-se a nova realidade tecnológica. Isso se chama tecnologia orientada a tecnologia, como me expressei numa apresentação na faculdade.

Hoje penso em funcionalidades. Isso sim é tecnologia orientada ao homem, outra expressão que usei na apresentação. Laptop está barato, mas quantos usam de forma eficaz!? Desta mesma forma falo de linguagens abertamente a qualquer um. Mas é apenas minha opinião.

Java é ótimo, para o que se propõe. Assim como Cobol também é em back-ends rodando a mil por hora em Mainframes da IBM.

Neste caminho me torno um generalista nas linguagens. É, não penso em ser tão técnico e me tornar especialista em uma única linguagem. Afinal, você pegaria taxi com um taxista que só anda de GOL 92 AMARELO (quem passou por um treinamento especial sabe o que estou falando!).

Trabalho minha lógica a cada dia, e quando for necessário, pode me pedir para passar para ABAP, Cobol ou Java.

Minha ultima opinião, acho que apenas precisa-se criar mais frameworks para auxiliar a programação em Cobol em qualquer plataforma e até mesmo dinamizar a integração com diversas instalações. Mas eu ainda num tenho muita prática. Vamos ao trabalho.

1, julho 2008 at 8:59 pm Deixe um comentário

Obrigado pela visita

Muito obrigado a todos os leitores desse humilde blog! Hoje este blog atingiu 444 visitas, um novo recorde neste espaço. Espaço que o conteúdo esteja sendo útil a todos.

Até mais.

Victor de Souza Couto

28, fevereiro 2008 at 1:05 am 4 comentários

Pesquisa: Frameworks para desenvolvimento Java – Parte 2

Dando mais um passo sobre pesquisas sobre Frameworks. Fiz várias leituras e encontrei muita influência sobre arquitetura de software MVC: Model-View-Controller. Muitos frameworks preparados para desenvolvimento seguindo esse tipo de arquitetura.

Estou iniciando uma pesquisa mais profunda, com testes e desenvolvimento de exemplos. Estou iniciando no desenvolvimento de J2EE e essa experiência está sendo imprescindível.

Seguindo a arquitetura MVC, para a camada CONTROLLER percebi muita utilização do framework Struts. Nesta camada se encontram as Servlets responsável pela gerência de requisições de quem deve executar determinadas tarefas.

Na camada VIEW é bastante frequente a utilização do Velocity, alternando soluções JSP, responsável pela apresentação de informações dinâmicas na web.

Por final, na camada MODEL está muito presente a utilização do Hibernate, responsável pelas classes que representam suas entidades e as que o ajudam a armazenar e buscar dados.

Penso que esses não são os únicos frameworks bem utilizados. Caso alguém conheça outras soluções, comentem aí!

Abraços

14, fevereiro 2008 at 3:09 am 3 comentários

Pesquisa: Frameworks para desenvolvimento Java

Olá pessoal,

estou inaugurando uma TAG nova. Um assunto que muito discuti no 2º semestre de 2007 e com certeza será ainda mais observado pelo resto de minha carreira: PESQUISA.

Abordando pesquisa não somente de uma forma de estudo e sim em quesito de relevância a desenvolvimento de protótipos. Acredito que o assunto pode se tornar coisa séria! 🙂

Unindo-se a demais colegas de faculdade, dou partida a esta pesquisa que terá continuidade, certamente! Gostaria de discutir sobre frameworks.

Li alguns tópicos como frameworks bem utilizados no meio de produção. Percebi que a gama de ferramentas é enorme. Sendo assim, peço sua ajuda leitor, vamos discutir sobre frameworks.

Objetivo: Tenho como projeto pessoal, no 1º semestre de 2008, elaborar um ambiente de desenvolvimento com documentações e tutoriais intuitivos baseados em frameworks open source. Disponibilizar toda minha pesquisa neste blog e na faculdade. Desenvolver uma linha de pesquisa que possibilite a capacitação de profissionais iniciantes, desenvolvimento de novos projetos baseados nesta linha de pesquisa, aumentar minha experiência neste tópico, entre outras utilidades…

Segue abaixo o que já li e pretendo dar seqüência em pesquisa:

  • Hibernate:

Framework para o mapeamento objeto-relacional escrito na linguagem Java, mas também é disponível em .Net como o nome NHibernate. Este programa facilita o mapeamento dos atributos entre uma base tradicional de dados relacionais e o modelo objeto de uma aplicação, mediante o uso de arquivos (XML) para estabelecer esta relação.

  • JUnit:

Com suporte à criação de testes automatizados na linguagem de programação Java.

Esse framework facilita a criação de código para a automação de testes com apresentação dos resultados. Com ele, pode ser verificado se cada método de uma classe funciona da forma esperada, exibindo possíveis erros ou falhas podendo ser utilizado tanto para a execução de baterias de testes como para extensão.

  • Lucene:

É um software de busca e uma API de indexação de documentos, escrito na linguagem de programação Java. É um software de código aberto da Apache Software Foundation licenciado através da licença Apache.

O Lucene contém apenas o núcleo do “motor” de busca. Por isso, ele não inclui um Web crawler ou um parser para diferentes formatos de documentos. O usuário do Lucene deve adicionar estas funcionalidades.

Para o Lucene não importa a origem dos dados, seu formato ou mesmo a linguagem em que foi escrito, desde que esses dados possam ser convertido para texto. Isto significa que o Lucene pode ser utilizado para indexar e buscar dados gravados em: arquivos, páginas web em servidores remotos, documentos gravados no sistema de arquivos local, arquivos textos, documentos Microsoft Word, documentos HTML ou arquivos PDF, ou qualquer outro formato do qual possa ser extraído informação textual.

  • Marge:

Framework utilizado para facilitar o desenvolvimento de aplicações em Java que façam uso do Bluetooth, como por exemplo: jogos, controles remoto, aplicações de marketing, soluções para automação residencial, entre outras.

  • Maven:

É uma ferramenta para gerenciamento e automação de projetos em Java. Ela é similar à ferramenta Ant, mas possui um modelo de configuração mais simples, baseado no formato XML. Maven é um projeto da Apache Software Foundation.

Maven utiliza uma construção conhecida como Project Object Model (POM). Ela descreve todo o processo de construção de um projeto de software, suas dependências em outros módulos e componentes e a sua sequência de construção. O Maven contém tarefas pré-definidas que realizam funções bem conhecidas como compilação e empacotamento de código.

  • Mentawai:

Primeiro framework web MVC em Java a adotar, implementar, documentar e incentivar todo e qualquer tipo de configuração (actions, filtros, validação, listas, connection pooling, ioc, di, etc.) única e exclusivamente através de configuração programática (100% Java), abolindo por completo o uso de XML e Annotations para as configurações.

  • Mock Objects:

São objetos que simulam o comportamento de objetos reais de forma controlada. São normalmente criados para testar o comportamento de outro objeto.

  • Spring:

Framework não intrusivo, baseado nos padrões de projeto inversão de controle (IoC) e injeção de dependência.

No Spring o container se encarrega de “instanciar” classes de uma aplicação Java e definir as dependências entre elas através de um arquivo de configuração em formato XML. Dessa forma o Spring permite o baixo acoplamento entre classes de uma aplicação orientada a objetos.

  • Struts:

Framework de desenvolvimento da camada controladora, numa estrutura seguindo o padrão Model 2 (uma variante do MVC oficializada pela Sun), de aplicações web (principalmente) construído em Java para ser utilizado em um container web em um servidor J2EE. Controladoras neste modelo são utilizadas para lógica de negócios no desenvolvimento.

Nesta breve descrição, algo apenas para apresentação, sem caráter de explanação técnica e detalhada.

Minha requisição é a seguinte: Qual framework foi indispensável em projetos que você participou? Vamos discutir?

Até mais! 😉

31, janeiro 2008 at 12:05 am Deixe um comentário

Posts antigos


Categorias

  • Assine:

    • Meu Blog
  • BlogBlogs

  • Compras online:

  • Leia também:

  • Feeds