Posts filed under ‘JAVA’

Pair Programming – Are you interested?

Bom, vou aproveitar o tempo livre para indicar uns links sobre esse assunto tão interessante.

A tempos venho me interessando e montar um lab mais eficaz, e contudo, mais acessível aos profissionais recém inseridos no mercado de trabalho.

Este projeto deixa para outro post, mas segue abaixo links para quem programa em Java e se interessa por funcionalidades voltadas para VOCÊ, ser humano!

Eclipse Cola : Real-Time Shared Editing – http://live.eclipse.org/node/543

Cola: Real-Time Shared Editing from Mustafa K. Isik on Vimeo.

Netbeans Collab : Developer Collaboration – http://collab.netbeans.org/

Ainda não estudei sobre mas em breve resenharei sobre o assunto (e sobre os links).

Anúncios

1, julho 2008 at 9:29 pm Deixe um comentário

Pesquisa: Frameworks para desenvolvimento Java – Parte 2

Dando mais um passo sobre pesquisas sobre Frameworks. Fiz várias leituras e encontrei muita influência sobre arquitetura de software MVC: Model-View-Controller. Muitos frameworks preparados para desenvolvimento seguindo esse tipo de arquitetura.

Estou iniciando uma pesquisa mais profunda, com testes e desenvolvimento de exemplos. Estou iniciando no desenvolvimento de J2EE e essa experiência está sendo imprescindível.

Seguindo a arquitetura MVC, para a camada CONTROLLER percebi muita utilização do framework Struts. Nesta camada se encontram as Servlets responsável pela gerência de requisições de quem deve executar determinadas tarefas.

Na camada VIEW é bastante frequente a utilização do Velocity, alternando soluções JSP, responsável pela apresentação de informações dinâmicas na web.

Por final, na camada MODEL está muito presente a utilização do Hibernate, responsável pelas classes que representam suas entidades e as que o ajudam a armazenar e buscar dados.

Penso que esses não são os únicos frameworks bem utilizados. Caso alguém conheça outras soluções, comentem aí!

Abraços

14, fevereiro 2008 at 3:09 am 3 comentários

Pesquisa: Frameworks para desenvolvimento Java

Olá pessoal,

estou inaugurando uma TAG nova. Um assunto que muito discuti no 2º semestre de 2007 e com certeza será ainda mais observado pelo resto de minha carreira: PESQUISA.

Abordando pesquisa não somente de uma forma de estudo e sim em quesito de relevância a desenvolvimento de protótipos. Acredito que o assunto pode se tornar coisa séria! 🙂

Unindo-se a demais colegas de faculdade, dou partida a esta pesquisa que terá continuidade, certamente! Gostaria de discutir sobre frameworks.

Li alguns tópicos como frameworks bem utilizados no meio de produção. Percebi que a gama de ferramentas é enorme. Sendo assim, peço sua ajuda leitor, vamos discutir sobre frameworks.

Objetivo: Tenho como projeto pessoal, no 1º semestre de 2008, elaborar um ambiente de desenvolvimento com documentações e tutoriais intuitivos baseados em frameworks open source. Disponibilizar toda minha pesquisa neste blog e na faculdade. Desenvolver uma linha de pesquisa que possibilite a capacitação de profissionais iniciantes, desenvolvimento de novos projetos baseados nesta linha de pesquisa, aumentar minha experiência neste tópico, entre outras utilidades…

Segue abaixo o que já li e pretendo dar seqüência em pesquisa:

  • Hibernate:

Framework para o mapeamento objeto-relacional escrito na linguagem Java, mas também é disponível em .Net como o nome NHibernate. Este programa facilita o mapeamento dos atributos entre uma base tradicional de dados relacionais e o modelo objeto de uma aplicação, mediante o uso de arquivos (XML) para estabelecer esta relação.

  • JUnit:

Com suporte à criação de testes automatizados na linguagem de programação Java.

Esse framework facilita a criação de código para a automação de testes com apresentação dos resultados. Com ele, pode ser verificado se cada método de uma classe funciona da forma esperada, exibindo possíveis erros ou falhas podendo ser utilizado tanto para a execução de baterias de testes como para extensão.

  • Lucene:

É um software de busca e uma API de indexação de documentos, escrito na linguagem de programação Java. É um software de código aberto da Apache Software Foundation licenciado através da licença Apache.

O Lucene contém apenas o núcleo do “motor” de busca. Por isso, ele não inclui um Web crawler ou um parser para diferentes formatos de documentos. O usuário do Lucene deve adicionar estas funcionalidades.

Para o Lucene não importa a origem dos dados, seu formato ou mesmo a linguagem em que foi escrito, desde que esses dados possam ser convertido para texto. Isto significa que o Lucene pode ser utilizado para indexar e buscar dados gravados em: arquivos, páginas web em servidores remotos, documentos gravados no sistema de arquivos local, arquivos textos, documentos Microsoft Word, documentos HTML ou arquivos PDF, ou qualquer outro formato do qual possa ser extraído informação textual.

  • Marge:

Framework utilizado para facilitar o desenvolvimento de aplicações em Java que façam uso do Bluetooth, como por exemplo: jogos, controles remoto, aplicações de marketing, soluções para automação residencial, entre outras.

  • Maven:

É uma ferramenta para gerenciamento e automação de projetos em Java. Ela é similar à ferramenta Ant, mas possui um modelo de configuração mais simples, baseado no formato XML. Maven é um projeto da Apache Software Foundation.

Maven utiliza uma construção conhecida como Project Object Model (POM). Ela descreve todo o processo de construção de um projeto de software, suas dependências em outros módulos e componentes e a sua sequência de construção. O Maven contém tarefas pré-definidas que realizam funções bem conhecidas como compilação e empacotamento de código.

  • Mentawai:

Primeiro framework web MVC em Java a adotar, implementar, documentar e incentivar todo e qualquer tipo de configuração (actions, filtros, validação, listas, connection pooling, ioc, di, etc.) única e exclusivamente através de configuração programática (100% Java), abolindo por completo o uso de XML e Annotations para as configurações.

  • Mock Objects:

São objetos que simulam o comportamento de objetos reais de forma controlada. São normalmente criados para testar o comportamento de outro objeto.

  • Spring:

Framework não intrusivo, baseado nos padrões de projeto inversão de controle (IoC) e injeção de dependência.

No Spring o container se encarrega de “instanciar” classes de uma aplicação Java e definir as dependências entre elas através de um arquivo de configuração em formato XML. Dessa forma o Spring permite o baixo acoplamento entre classes de uma aplicação orientada a objetos.

  • Struts:

Framework de desenvolvimento da camada controladora, numa estrutura seguindo o padrão Model 2 (uma variante do MVC oficializada pela Sun), de aplicações web (principalmente) construído em Java para ser utilizado em um container web em um servidor J2EE. Controladoras neste modelo são utilizadas para lógica de negócios no desenvolvimento.

Nesta breve descrição, algo apenas para apresentação, sem caráter de explanação técnica e detalhada.

Minha requisição é a seguinte: Qual framework foi indispensável em projetos que você participou? Vamos discutir?

Até mais! 😉

31, janeiro 2008 at 12:05 am Deixe um comentário

JAVA pra quem inicia! – Parte 3

Mais uma atualização descrevendo meus estudos. Pretendo postar todo o meu progresso. Continuo a executar mais alguns exemplos de JAVA e irei compartilhar aqui no blog. Como havia mencionado no post anterior(JAVA pra quem inicia! – Parte 2), estou fazendo um exemplo simples de Chat. É lógico que a 80% do código estava na apostila mas estou tentando melhorar o exemplo. Vale lembrar que com a experiência adiquirida, já consigo ler esse código, entender de onde surgi cada variável, atributo e cada método. Também é muito importante lembrar das especificações que torna a linguagem JAVA tão interessante e usual. Seguir as convenções que os programadores mais experientes seguem é muito importante.
Fiz duas classes, uma Servidor.class e outra Cliente.class, e fazem o simples serviço do servidor estânciado repetir a linha digitada no cliente. Segue abaixo as linhas de código que eu imlpementei:

Servidor.class

import java.net.*;
import java.io.*;
public class Servidor {
public static void main(String[] args){

try{
ServerSocket server = new ServerSocket(18981);
System.out.println(“Porta 18981 aberta!”);
// aceita a conexao
Socket client = server.accept();
System.out.println(“Nova conexao com o cliente ” + client.getInetAddress().getHostAddress());
// cria buffer de leitura
BufferedReader in = new BufferedReader(new InputStreamReader(client.getInputStream()));
while(true){
String linha = in.readLine();
if(linha == null){
break;
}
System.out.println(linha);
}
// fecha tudo
in.close();
client.close();
server.close();
}catch(IOException ex){
System.out.println(“Ocorreu um erro na conexao!”);
ex.printStackTrace();
}
}
}

Cliente.class

import java.net.*;
import java.io.*;
public class Cliente {
public static void main(String[] args){
try{
//conectar ao servidor
Socket client = new Socket(“127.0.0.1”, 18981);
System.out.println(“O cliente se conectou ao servidor!”);

//prepara para a leitura da linha de comando
BufferedReader in = new BufferedReader(new InputStreamReader(System.in));
PrintWriter out = new PrintWriter(client.getOutputStream(), true);
while(true){
String linha = in.readLine();
if(linha == null){
break;
}
out.println(linha);
}
in.close();
out.close();
client.close();
}catch(IOException ex){
System.out.println(“Ocorreu um erro na conexao com o servidor”);
ex.printStackTrace();
}
}

}
Gostaria de mencionar que todos os exemplos que eu executo tem uma pitada de dicas da Caelum. Estou estudando JAVA em cima das apostilas deles que estão disponíveis no próprio site. Recomendo a apostila pra quem inicia.

Se alguém quiser dar opiniões, críticas e sugestões seria perfeito. Eu topo novas idéias pra ver até onde esse Chat pode chegar. Por enquanto só tenho código em JAVA mas se alguém tiver uma proposta para expandir, estou dentro!

Até mais.

13, fevereiro 2007 at 9:16 pm 5 comentários

JAVA pra quem inicia! – Parte 2

Muitos sabem que sou adimirador da linguagem JAVA e pretendo trabalhar com ela. Já havia postado antes (AQUI) que estou estudando bastante a matéria por conta própria. Antes eu programava apenas com o bloco de notas para me aprimorar e evitar erros bobos que se adiquire quando não se tem experiência e logo se cai de cabeça nas IDE’s.

Hoje, acredito que com um poquinho mais de experiência, já estou usando uma IDE muito boa, o Eclipse. Além de auto-identação e cores nas linhas de código para facilitar o escopo, ela também facilita muito para quem se perde com os pacotes e muito mais.

Segue abaixo uma classe simples de um exemplo que rolou com sucesso aqui comigo!

import java.io.*;

public class TestaFluxoFileInputStream {

public static void main(String[] args){

try{
//Abre Arquivo
FileInputStream is = new FileInputStream(“arquivo.txt”);
//Chama o método
leFluxo(is);
//Fecha o arquivo
is.close();
}catch(IOException ex){
System.out.println(ex.getMessage());
}
}

public static void leFluxo(InputStream is)throws IOException{
InputStreamReader reader = new InputStreamReader(is);
BufferedReader buffer = new BufferedReader(reader);
while(true){
String linha = buffer.readLine();
//Se chegou ao final da linha
if (linha == null){
//sai do loop
break;
}
System.out.println(linha);
}
}

}

Essa classe lê todo o arquivo.txt. Um exemplinho bem legal.
Logo aviso para colocarem o arquivo.txt na mesma pasta que a classe.
Espero me aprimorar mais e quem sabe em breve postar um simulador de um bate papo, com todas as classe necessárias. Já fiz uma vez mas faz muito tempo, estou voltando a tona agora!

Até mais!

9, fevereiro 2007 at 2:18 pm 10 comentários

JAVA pra quem inicia!

Estou estudando JAVA já tem um tempinho mas ainda não tenho muita experiência. Não ganho nada com propaganda mas aí vai uma dica ótima pra quem está começando como eu!

http://blog.caelum.com.br/feed/

Esse é o feed do blog da Caelum, escola de treinamentos JAVA. Ainda não fiz nenhum curso com a escola mas tive a oportunidade de assistir aulas na USP de dois professores(e donos, vale lembrar!!!) na difusão cultural de verão do IME-USP.

No site da Caelum você ainda encontra materiais didáticos que eles utilizam nos cursos. Muito bom.

Também recomendo o fórum GUJ , um dos melhores fóruns que já conheci, que se não me engano é ministrado pelos caras da Caelum . Os caras são “FERA”.

No começo evitem IDE’s de programação como Netbeans e Eclipse, programe no bloco de notas, esse é o melhor método pra quem começa, pra ir familiarizando com a linguagem.

Sugestões e críticas, abusem dos comentários!

Assinem meu Feed:

Add to netvibes

I heart FeedBurner

Powered by FeedBurner

22, janeiro 2007 at 7:14 pm 10 comentários


Agenda

outubro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Posts by Month

Posts by Category